PROGRAMA DO CURSO

Antropologia da Educação

Profa. Clarice Cohn

Universidade Federal de São Carlos

2º. Semestre - 2010

13 de agosto – APRESENTAÇÃO DO CURSO;

20 de agosto – ANTROPOLOGIA E EDUCAÇÃO (E A ESCOLA INDÍGENA)

LOPES DA SILVA, Aracy. Introdução. Antropologia, História e Educação. São Paulo, MARI/Global/FAPESP, 2000.

GUSMÃO, Neusa. Antropologia e Educação: origens de um diálogo. In: Caderno CEDES v.8n.43, 1997.

ROCHA, Ana Luiza Carvalho da. Antropologia e doutrinas pedagógicas: quando os devorados somos nós. Porto Alegre, GEEMPA, 2005 (Coleção Textos Geempianos n.2)

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: JEIKA KALAPALO, Professor da escola da aldeia AIHA (Parque Indígena do Xingu) e aluno do curso de Administração da UFSCar.

27 de agosto – ESCOLA E INFÂNCIA

ARIÈS, Phillippe. História social da criança e da família. Rio de Janeiro, Zahar Editores (várias edições).

TASSINARI, Antonella. Múltiplas Infâncias: o que a criança indígena pode ensinar para quem já foi a escola - ou a Sociedade contra a Escola. Comunicação apresentada à 33º. ANPOCS, 2009.

03 de setembro - SOCIALIZAÇÃO, ENCULTURAÇÃO, E O DEBATE SOBRE A ESCOLA

COHN, Clarice. Noções sociais de infância e desenvolvimento infantil. Cadernos de Campo nº 9, ano 10, pp. 13-26, 2000.

MEAD, Margaret. "Reflexiones sobre los actuales problemas educacionales a la luz de la experiencia manus". In.: Educaçion y cultura en Nueva Guinea. Buenos Aires, Paidos, 1985.

10 de setembro – II seminário do GRUPECI – não haverá aula

17 de setembro – ANTROPOLOGIA E APRENDIZAGENS

LAVE, Jean & WENGER, Etienne. Situated Learning: legitimate peripheral participation. Cambridge, Cambridge University Press (capítulos 1 e 3).

PELISSIER, Catherine. Anthropology of teaching and learning. Annual Review of anthropology.

24 de setembro – SEMANA DE CIÊNCIAS SOCIAIS – NÃO HAVERÁ AULA

01 de outubro – CHILDREN CONFERENCE – NÃO HAVERÁ AULA

08 de outubro – A EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA NO BRASIL

COHN, Clarice. Educação escolar indígena: para uma discussão de cultura, criança e cidadania ativa. Revista Perspectiva. Florianópolis, UFSC, 2006.

TASSINARI, Antonella. Escola indígena: novos horizontes teóricos, novas fronteiras de educação. In Antropologia, História e Educação. Lopes da Silva, Aracy e Ferreira, Mariana, (orgs.) São Paulo: Editora Global, 2001.

15 de outubro – CICT – NÃO HAVERÁ AULA

22 de outubro – A INDIGENIZAÇÃO DA ESCOLA EM QUESTÃO

ALVARES, Myriam Martins. Kitoko Maxakali: a criança indígena e os processos de formação, aprendizagem e escolarização. Revista ANTHROPOLÓGICAS, ano 8, volume 15(1): 49-78 (2004)

TASSINARI, Antonella. Da civilização à tradição: os projetos de escola entre os índios do Uaçá. In Antropologia, História e Educação. Lopes da Silva, Aracy and Ferreira, Mariana (orgs.) São Paulo: Editora Global, 2001.

29 de outubro – ANPOCS – NÃO HAVERÁ AULA

05 de novembro – RECESSO – NÃO HAVERÁ AULA

12 de novembro – POR QUE ESCOLA?

Peter Gow. Of Mixed Blood: Kinship and History in Peruvian Amazonia. Oxford University, 1991, (Parte III).

LASMAR, Cristiane. Conhecer para transformar: os índios do rio Uaupés (Alto Rio Negro) e a educação escolar. Tellus, ano 9, n. 16, p. 11-33, jan./jun. 2009.

HUGH-JONES, Stephen. Éducation et culture. Réflexions sur certains développements dans la region colombienne du Pira-Parana. Cahiers des Ameriques Latines 23, 1997.

19 de novembro - ESCOLA E SOCIALIDADE

Cecilia McCallum. Escrito no corpo: gênero, educação e socialidade na Amazônia numa perspectiva Kaxinawá. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 19, n. 33, jan./jun. 2010

Luisa Elvira Belaunde. Deseos encontrados: escuelas, profesionales y plantas en la Amazonía peruana. Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 19, n. 33, jan./jun. 2010

26 de novembro – ORALIDADE E ESCRITA

Bruna Franchetto. A guerra dos alfabetos: os povos indígenas na fronteira entre o oral e o escrito. Mana 14(1): 31-59, 2008.

Maria Elisa Ladeira. De ‘Povos Ágrafos’ a ‘Cidadãos Analfabetos’: as concepções teóricas subjacentes às propostas educacionais. Comunicação apresentada à RAM, 2005.

Ladeira, Maria Elisa. De bilhetes e diários: oralidade e escrita entre os Timbira. Antropologia, História e Educação. Lopes da Silva, Aracy and Ferreira, Mariana, eds. Pp. 303-330. São Paulo: Editora Global, 2001.

03 de dezembro - ESCRITA E GRAFISMO

Peter Gow. ¿Podía leer Sangama?: sistemas gráficos, lenguaje y shamanismo entre los Piro (Perú oriental). Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 19, n. 33, jan./jun. 2010.

Macedo, S. L. S. . Xamanizando a escrita : aspectos comunicativos da escrita ameríndia. Mana, v. 15, p. 509-528, 2009.

10 de dezembro - CONHECIMENTOS INDÍGENAS E ESCOLARES

GRUPIONI, Luis Donisete Benzi. Olhar longe, porque o futuro é longe. Cultura, escola e professores indígenas no Brasil. Tese (doutorado). PPGAS-USP, 2008. (PP. 179-186 e capítulo 5).

CALAVIA SAÉZ, Oscar; CARID NAVEIRA, Miguel; PERÉZ GIL, Laura. O Saber é Estranho e Amargo. Sociologia e mitologia do conhecimento entre os Yaminawa. Campos 4, 2003.

18.8.10

Neusa Gusmão

http://www.mediafire.com/?n49apwsand8vdz6

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário